Cuidando do Coração das Mulheres II

Nutrientes e vitaminas amigos do coração 


Você sabia que algumas mudanças na alimentação podem contribuir para a prevenção de doenças cardiovasculares? Além de uma rotina alimentar equilibrada e a prática regular de exercícios físicos, o consumo de alimentos que contêm as vitaminas B, C, D, E, K também pode contribuir para o cuidado com o seu coração.


Conheça um pouco mais sobre nossas grandes aliadas:


A vitamina B1 ajuda na proteção do músculo cardíaco e a B3 proporciona a diminuição dos níveis do colesterol ruim.
A B6 é uma protetora cardiovascular e importante para a formação dos glóbulos vermelhos, assim como as vitaminas B9 e a B12.
A vitamina B12 também contribui para a prevenção de danos arteriais.
A vitamina C auxilia na redução do risco cardíaco e suas complicações.
A vitamina D pode contribuir com o controle da pressão arterial e também para a prevenção de doenças cardíacas.
Para melhorar a função cardíaca, podemos contar com a vitamina E, que possui um importante efeito antioxidante.
A vitamina K, por fim, é mais um nutriente que pode contribuir com a saúde do coração, participando do processo de coagulação sanguínea, ajudando na prevenção da calcificação vascular, doença responsável, em alguns casos, por ataques cardíacos e AVC (acidente vascular cerebral).
Ao elaborar o cardápio da semana, varie sua alimentação. Dessa maneira você conseguirá incluir alimentos que contêm essas vitaminas em suas refeições para aumentar o seu bem-estar.

 

Mexa-se pelo seu coração


Não importa se você gosta de caminhada, corrida ou academia, manter um estilo de vida ativo traz uma série de benefícios para a sua saúde, especialmente quando falamos da saúde cardiovascular. A prática de exercícios regulares ajuda o seu coração a bombear sangue por todo seu corpo com mais facilidade, ajudando na perda de peso, além de contribuir para sua resistência, equilíbrio e mobilidade. Então não fique parado! Trinta minutos por dia é tudo o que você precisa para começar, mas lembre-se: é importante começar devagar, respeitar o seu próprio ritmo e escolher um tipo de exercício que seja prazeroso para você. 

 

Descanso para o coração


Não é só a nossa mente que descansa na hora de ir para cama. Neste momento, o coração também tira suas horas de repouso, pois há diminuição da frequência cardíaca e da pressão arterial. Contudo, para que isto aconteça, é preciso um sono de qualidade. Se ao longo da noite você apresenta microdespertares ou sofre de apneia do sono, esse período de recuperação ficará comprometido e problemas podem ocorrer, como o desenvolvimento de hipertensão arterial ou a piora da aterosclerose. Por isso, fique de olho: caso esteja tendo algum problema para dormir, procure médicos especialistas, que indicarão possíveis exames e tratamentos adequados, se for o caso. Além disso, esteja sempre em dia com os exames do seu coração, para que você possa colocar a cabeça tranquilamente no travesseiro e ter uma boa noite de sono!

 

Converse com quem você ama


Você sabia que conversar com quem a gente ama faz bem ao coração? O estresse é um importante fator de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares e um dos mais difíceis de combater. Ao conversamos e ouvirmos a voz dos nossos familiares e amigos, o nosso corpo tem reações positivas, dentre elas, a liberação de vários hormônios, como a ocitocina. Conhecida como hormônio do amor e da felicidade, a ocitocina promove a sensação de bem-estar e pode contribuir para diminuir a pressão arterial. Então, ao colocarmos o papo em dia, conseguimos ajudar a manter a nossa saúde cardiovascular.

 

Cuidar da saúde mental também é cuidar do coração


O estresse é uma reação natural do organismo e fundamental para que possamos superar situações de risco. Ele libera hormônios e gera uma série de reações que são fundamentais diante de perigos. Porém quando seu efeito é contínuo, como nas situações de desgaste emocional ou profissional, o impacto é negativo. O estresse pode aumentar a frequência cardíaca e a pressão arterial, fazendo o coração trabalhar muito, mesmo em momentos nos quais ele deveria estar repousando. Sensações negativas como o estresse, a raiva, a ansiedade, a tristeza e a solidão têm efeito negativo sobre a saúde cardiovascular, por mecanismos semelhantes. Por isso, é fundamental manter uma vida equilibrada, com hábitos saudáveis e que contribuam com o seu bem-estar. Dormir bem, fazer atividades físicas, meditar, praticar ioga, estimular sua vida social e o convívio com os amigos são algumas medidas que podem ajudar.
Lembramos que é essencial conversar sempre com um médico para saber qual forma de combate ao estresse é a mais indicada para você.

 

Hipertensão arterial


A hipertensão arterial é um problema de saúde pública que atinge homens e mulheres em todo o mundo. Só no Brasil ela pode afetar uma em cada cinco pessoas e pode demorar até apresentar sintomas, o que dificulta o diagnóstico e facilita a ocorrência de complicações. Por outro lado, a adoção de hábitos de vida saudável, como a prática de atividade física, evitar o excesso de bebidas alcoólicas, o combate ao estresse e à obesidade, pode ajudar a controlar a pressão e melhorar a expectativa e a qualidade de vida. Outro aspecto importante é o controle do consumo de sal, que é recomendado como sendo de no máximo 5g por dia (no Brasil, os níveis são muito elevados, em média 12g por dia). Recomenda-se que, após os 40 anos, as pessoas em geral meçam a pressão ao menos duas vezes por ano. Caso você tenha pressão alta, não descuide da medicação e visite regularmente seu médico.

 

Referencia: Veja Saúde / Fleury – Medicina e saúde

 

 

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn